tamanho da letra : imprimir

Experiências inesquecíveis para curtir sobre duas rodas

Viajar de bicicleta é uma fantástica experiência sensorial. Sobre o selim da bicicleta você consegue cobrir dezenas de quilômetros por dia e, ao mesmo tempo, curtir – dentro do seu próprio ritmo – cada pedaço por onde passa

Caminhar por entre parreiras, colher no pé uma fruta, degustar vinhos onde são produzidos, deliciar-se com a culinária da região em um restaurante estrelado ou na casa de um morador local… Esses são apenas alguns dos prazeres que os viajantes sobre duas rodas têm a chance de experimentar dentro do seu próprio ritmo. E o melhor de tudo é que, cada vez mais, existem roteiros fantásticos para percorrer mesmo que você seja apenas um ciclista de fim de semana.
Selecionamos cinco roteiros incríveis para você curtir suas férias sobre duas rodas. Mais do que uma viagem, esses destinos oferecem surpreendentes experiências culturais, com excelentes opções gastronômicas e até de refeições caseiras, preparadas com carinho por moradores locais, que adoram receber os viajantes. Também contam com superguias que são ótimos “anfitriões”, suporte de van para atender às suas necessidades, hotéis charmosos e confortáveis para relaxar. Escolha o roteiro que mais combina com seu estilo e divirta-se. Você merece!

A ESCANDALOSA BELEZA E GASTRONOMIA DE BORDEAUX
Este roteiro é perfeito para quem deseja explorar, sem pressa, as delícias de Bordeaux, uma das mais famosas e respeitadas áreas vinícolas localizadas a sudoeste da França.
A viagem começa em Graves, sub-região de Bordeaux. Além de pedalar entre vinhedos, conhecer châteaux e charmosas vilas, você vai experimentar vinhos maravilhosos. A região possui aproximadamente 250 produtores que cultivam as melhores cepas tintas de cabernet sauvignon, merlot, cabernet franc, petit verdot e malbec; e de brancos como sauvignon blanc, sémillon, muscadelle e sauvignon gris.
No Château Smith Haut Lafitte, uma das mais antigas e festejadas propriedades vinícolas de Bordeaux, você faz uma pausa para curtir a piscina ou, simplesmente, relaxar em um luxuoso quarto. Depois de degustar os melhores vinhos, claro.
No segundo dia, vai conhecer vilarejos e vinhedos de Paysage Bordelais, às margens do Rio Garonne, cruzar a região de Entre-Deux-Mers até chegar ao Rio Dordogne. O passeio termina no deslumbrante hotel Château Grand Barrail.
Sua construção data do século 19 e ele é o único hotel-castelo na margem direita de Bordeaux, aos pés do famoso vinhedo e do belo vilarejo de Saint-Émilion, Patrimônio Mundial da Unesco.
À noite, você vai ter um jantar inesquecível no luxuoso restaurante do hotel. Na manhã seguinte, o dia será de visitas às mais importantes propriedades de Pomerol e Saint-Émilion: Cheval Blanc, Château Figeac, Petrus e Angelus. Nelas, claro, irá provar vinhos excelentes.
O almoço será no restaurante do Château Candale, que tem um menu criativo. Mas o melhor está reservado para a noite: ao retornar para Saint-Émilion, será convidado de uma adega VIP para fazer degustação exclusiva. Depois, você pode escolher um dos excelentes restaurantes locais para jantar – La Terrasse Rouge e L’Envers du Decors são duas top escolhas.
Em Saint-Émilion, não deixe de visitar a Igreja Monolítica, obra do período medieval esculpida em uma única rocha. No mesmo local, na Place de Créneaux, são encontradas as famosas catacumbas, que eram os locais onde se enterravam as pessoas mais importantes da cidade, e muitas galerias subterrâneas abrigam, há séculos, vários quilômetros de adegas, que guardam garrafas das melhores safras da região. E foi graças aos 1 400 anos de viticultura, que Saint-Émilion recebeu a nomeação pela Unesco de Patrimônio Universal em 1999 – a primeira área de cultivo de vinho no planeta a receber essa distinção.
Pedalar às margens da foz do Gironde é mais um dos passeios que você vai adorar. Especialmente porque vai visitar regiões vinícolas de Bourg e Blaye. Elas são pouco conhecidas, mas vale ir, porque essa região combina os prazeres do vinho com igrejas romanas e sítios arqueológicos. Entre os destaques estão a Fortaleza de Blaye, o Forte Pâté e o Forte Médoc, listados como Patrimônio Mundial pela Unesco. E será ali, rodeado por esse ambiente histórico, que você vai almoçar antes de cruzar o Gironde em uma balsa para chegar a Médoc, o berço das uvas cabernet sauvignon.
Mais algumas pedaladas adiante e voilà: chega-se ao luxuoso hotel Cordeillan-Bages, construído em meados do século 19.
Após um ótimo descanso, o circuito é iniciado por Estèphe. Momento de conhecer célebres propriedades de Bordeaux: Château Mouton Rothschild, Château Lafite Rothschild e Château Latour. Momento de descobrir o porquê de seus vinhos serem tão incríveis. E prepare-se, porque no fim dessa jornada você tem encontro marcado com o chef Jean-Luc Rocha, do Cordeillan-Bages, restaurante que recebeu duas estrelas no Guia Michelin: ele irá preparar um jantar especialmente para o seu grupo.

NAVEGAR, PEDALAR E DELICIAR-SE COM A CULINÁRIA DO MEDITERRÂNEO
Navegar pelo Mediterrâneo rumo às intocadas ilhas gregas, muito bem instalado a bordo de um sofisticado gulet – veleiro turco com dois ou três mastros –, é apenas parte da aventura que você irá experimentar neste roteiro que une o melhor da comida mediterrânea aos ótimos vinhos gregos. Tudo isso com direito a mergulhos no maravilhoso Mar Egeu (situado entre a Grécia e a Turquia), prática de caiaque ou stand up paddle. Durante toda a viagem você vai visitar belas enseadas antes de retornar para o merecido descanso em sua confortável cabine.
Dodecaneso, um conjunto de ilhas gregas no sudeste do Mar Egeu, entre Creta e Turquia, guarda relíquias. São ruínas com influência bizantina, casas caiadas de branco e falésias vulcânicas que são reveladas a cada pedalada que você dará pelas estradas costeiras, ao longo de crateras vulcânicas queimadas e por entre as lindas aldeias com as típicas casinhas em tons de branco e cobalto.
Você tem a opção de começar essa viagem inesquecível fazendo o pré-tour (opcional) em Atenas, coração da antiga Grécia, onde os passeios históricos são o grande destaque.
Se preferir, pode iniciar sua jornada diretamente de Kos, onde seguirá de ferry para Turgutreis, para se instalar no Kaya Guneri Plus, nosso iate particular, e receber o jantar de boas-vindas no convés.
Você vai navegar até a ilha deserta de Pserimos, local em que poderá mergulhar naquelas águas de esplêndido azul. À tarde, a âncora é lançada em Kalymnos, onde você irá receber e ajustar a sua bicicleta e partir para a Baía de Emporios.
O primeiro desafio será subir até o ponto mais alto da ilha. Mas pode ficar tranquilo, porque esse caminho será percorrido gradualmente, com paradas para mergulhos e tempo para curtir as estonteantes vistas para o Mar Egeu. Na extremidade norte da ilha, onde um barco estará à sua espera, ainda poderá refrescar-se com mais um mergulho revigorante ou, se preferir, saborear um legítimo café grego. Depois, você escolhe se prefere relaxar em um cruzeiro panorâmico ou seguir andando de volta à costa ocidental de Kalymnos.
Bem cedo nosso iate retorna à Ilha de Kos. E, na parte da manhã, você vai se divertir percorrendo de bicicleta a ilha e conhecendo vilarejos pitorescos. O ponto máximo dessa rota é Zia, comunidade muito charmosa que conta com a mais incrível vista para a Ilha de Kalymnos. E continuará rumo às ruínas do antigo templo da cura, o Asclepion, onde o Juramento de Hipócrates foi formulado. Depois de um delicioso almoço no nosso gulet, poderá passar o resto do dia se banhando no Egeu ou dar um pulo até a Cidade Velha, em Rodes, onde as enormes fortificações medievais chamam a atenção.
Na Ilha de Nisiros, durante a subida até seu topo, prepare-se para se deslumbrar com as vistas do Mar Egeu, das ilhas gregas e do imponente litoral da Turquia. E a emoção não para por aí. Em Nikia, vilarejo localizado no ponto mais alto da ilha, você poderá olhar dentro da boca de um vulcão ativo. A pausa será para provar um autêntico almoço na taverna local, em Mandraki. E o novo desafio será não se encantar com suas casas de telhados planos, ruas de pedra-pomes e a acrópole do século 4.
Em Symi, entre casas neoclássicas e igrejas do final do século 19, está o Santo Mosteiro de Arcanjo Miguel Panormitis. Esse monastério da Igreja Ortodoxa grega fica ao lado de um belo bosque de oliveiras e ciprestes. E é um importante sítio de peregrinação, reconstruído em 1783, após os extensos danos que sofreu durante a Guerra da Independência grega.
Ao chegar a Rodes, a maior das ilhas de Dodecaneso, Patrimônio Histórico da Humanidade e famosa devido ao Colosso de Rodes (estátua considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo), o passeio de bicicleta será por essa esplêndida cidade medieval rumo a uma pequena adega grega. Ali, você terá a chance de selecionar alguns vinhos para comprar, sempre com a ajuda especial da simpática proprietária dessa vinha.
Durante todos esses dias, você vai deliciar-se com a culinária mediterrânea. Peixe fresquíssimo grelhado no azeite, moussaka e salada coberta com fatias de feta salteadas em ervas – devidamente acompanhadas pelos saborosos vinhos da Grécia e da Turquia – certamente deixarão saudade.

ENOGASTRONOMIA E ARQUITETURA SURPREENDENTES DE MENDOZA
Prepare-se para degustar os melhores vinhos (e com eles, deliciosos pratos) produzidos em Mendoza, o coração da região vinícola da Argentina. São mais de 900 vinícolas aos pés dos Andes, conhecido por ter uma das mais deslumbrantes paisagens da América do Sul. Você vai passar dias inesquecíveis muito bem hospedado, porque a região tem uma excelente oferta de hotéis pequenos e luxuosos à beira dos vinhedos, além de oferecer uma experiência gastronômica fantástica.
A geografia plana de Mendoza é uma excelente opção para quem está pouco acostumado a andar de bicicleta. No ritmo suave das pedaladas você vai desvendar os vinhedos dessa região repleta de casarões e fazendas em que modernas construções arquitetônicas abrigam suas bodegas.
A Bodega Catena Zapata, em Luján de Cuyo, é considerada uma das melhores do país e possui uma inusitada construção em formato de templo maia. Você vai adorar a biblioteca de vinhos, onde estão armazenados alguns dos melhores do mundo para que se possa fazer uma comparação entre eles e os produzidos localmente.
O almoço do primeiro dia será em grande estilo, na belíssima Bodega Ruca Malen. Seu prédio moderno e funcional abriga uma sala com varanda que dá vista para os picos El Plata e Tupungato, parte das Cordilheiras. Ela foi a primeira vinícola de Mendoza a desenvolver um menu degustação para os visitantes. Sua cozinha prioriza ingredientes frescos, criando pratos que se harmonizam com as bebidas produzidas na propriedade. A qualidade, o sabor e o esmero valeram o reconhecimento internacional: em 2013 recebeu o prestigiado prêmio de Melhor Restaurante de Vinícola do Mundo, concedido pela associação Great Wine Capitals.
Aqui, vale uma pausa para contar um pouco mais sobre Tupungato, que significa “janela de estrelas” na língua indígena huarpe. A cidade está localizada no Vale do Uco, entre o Chile e Mendoza, e é a décima quarta montanha mais alta de toda a Cordilheira – e também da América do Sul (são estonteantes 6 565 metros de altitude). E sua fama não para somente em suas belezas naturais: também é célebre por ter as melhores uvas da região e quilômetros de cultivo de ameixas, pêssegos e maçãs, o que lhe rendeu a alcunha de “corredor produtivo”. Impossível descrever o que é pedalar ali, com direito a colher de suas saborosas frutas para comer em uma ou outra parada. O cuidado é não exagerar porque o almoço será na Bodega Andeluna. Com projeto arquitetônico imponente, sua cozinha é inspirada em receitas que nasceram da mistura dos povos que migraram para a região. O menu de seis passos é delicioso e muito bem acompanhado de vinhos maravilhosos. Fora isso, o que cativa é o ambiente aconchegante. Na área do restaurante, a cozinha aberta permite o contato com os chefs e com produtos recém-colhidos da horta exposta em cestinhas. Um charme.
Outra parada imperdível é a Bodega Salentein, onde está Killka, dedicado às artes e aos vinhos. A ideia original desse espaço era unir cultura e natureza. Ali, além de apreciar a valiosa coleção de arte contemporânea argentina e holandesa dos séculos 19 e 20, você experimentará vinhos excelentes em um ambiente arquitetônico moderno.

VALE DOS VINHEDOS: SABOREIE O PEDAÇO MAIS GOSTOSO DO BRASIL
É no triângulo formado pelas cidades de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Garibaldi, localizado na Serra Gaúcha, que está aninhado o Vale dos Vinhedos. A região traz, literalmente, o sabor da herança deixada pela forte imigração italiana. Os vinhos produzidos no Vale são os únicos do país a apresentar o selo de indicação de procedência (desde 2002) e o de denominação de origem (desde 2011) – garantias da qualidade dos vinhos. Pedalar por ali é uma delícia no mais amplo sentido da palavra.
Você vai adorar o belo cenário composto por suaves colinas cobertas por parreiras, plátanos e araucárias, pequenas propriedades rurais e vinícolas renomadas.
Na pequena cidade de Pinto Bandeira, irá pedalar pelos Caminhos de Pedras, Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul desde 2009, onde está concentrado o maior acervo arquitetônico da imigração italiana em meio rural do país e, por isso, chamado de “museu vivo”.
A primeira parada será na Casa do Mate, onde você visitará uma fábrica de processamento artesanal de ervas e degustará um típico chimarrão. Depois, irá visitar a Vinícola Cave Geisse. Ela foi fundada em 1979 por Mario Geisse, engenheiro agrônomo e enólogo que se mudou para o Brasil com a missão de dirigir a Moët & Chandon no país. Ele logo percebeu o potencial para a produção de vinhos, em especial espumantes, e decidiu ficar e formar sua própria vinícola. Soube aproveitar ao máximo as características ideais da microrregião, implantando em todos os seus vinhedos o sistema de espaldeira – e, com isso, o seu foi o primeiro vinhedo de espaldeira de chardonnay da região. Não por acaso, o local é considerado um dos marcos da viticultura brasileira na busca de qualidade. Hoje 100% dos vinhedos Geisse são tratados de maneira ecoeficiente, sem utilização de agrotóxicos, por meio do sistema TPC (Thermal Pest Control), que permite harmonia com o meio ambiente, além de garantia de matéria-prima de alto nível.
Em Bento Gonçalves, irá visitar a Igreja Nossa Senhora das Neves, “a Igreja dos Vinhos”. Ali, a pedalada iniciará pela Rota das Vinícolas – passando por Marco Luigi,
Milantino, XV da Graciema, Estrada do Vinho, Vale Aurora e Alma Única.
O roteiro termina com um brinde no jardim da Vinícola Wine Garden, onde você vai poder relaxar em esteiras ou toalhas estrategicamente colocadas sobre o gramado e, contemplando a paisagem e o ar fresco da Serra Gaúcha, deliciar-se com delicados sanduíches, empanadas, tábuas de frios, queijos selecionados, pizzas artesanais e bruschettas. Tudo regado a ótimos vinhos e, claro, espumantes.

ARTE E NATUREZA REGADOS AOS ESPETACULARES VINHOS DO VÊNETO
O Vêneto, na Itália, é a terra natal de algumas das mais conhecidas denominações italianas, como Prosecco, Valpolicella e Bardolino. Foi na década de 1990 que a região ganhou mais atenção dos amantes do vinho por concentrar a produção de alguns dos melhores vinhos italianos, como os tintos Valpolicella e Amarone, além do maravilhoso vinho branco Soave e do espumante Prosecco. Para curtir os prazeres da enogastronomia italiana, você sairá da charmosa cidade de Verona – famoso cenário da trágico-romântica história de Romeu e Julieta – e irá para a encantadora Borghetto sul Mincio. A pequena cidade faz jus ao título de “I borghi più belli d’Italia” (que pode ser traduzido como “um dos burgos mais bonitos da Itália”).
No luxuoso hotel, você vai desfrutar de um copo de Prosecco regional enquanto revisamos a montagem da sua bicicleta. E de lá fará seu primeiro passeio por Custoza, uma pequena aldeia do norte da Itália, na província de Verona.
Ao longo do caminho, visitará a fazenda da família de nosso amigo Gianni para provar sua ótima seleção de vinhos. A noite termina no hotel com o melhor tortelli da região, servido nos salões de afrescos do requintado restaurante.
Descansar no conforto do seu quarto e acordar ao suave som do Rio Mincio vai ajudá-lo a carregar as energias para a visita a Mântua, onde vai desvendar uma das maiores concentrações de arte da Itália renascentista. Em seguida, pedalará seguindo o sinuoso curso do Mincio.
No Palazzo Ducale, com seu estonteante estilo gótico italiano, será impossível não se surpreender com a beleza dos muitos (e famosos) afrescos. Outra parada que vale é o Teatro Bibiena, considerado um dos projetos arquitetônicos mais importantes da Europa do final do século 18. Ele foi inaugurado em 16 de janeiro de 1770 por ninguém menos que Wolfgang Amadeus Mozart. Com apenas 14 anos de idade, o gênio da música clássica chegou a Mântua, que fazia parte de sua primeira turnê italiana. Lá, fez um concerto memorável com seu pai, Leopold. Importante lembrar que a cidade possui excelentes trattorias, então, não perca a chance de almoçar em uma delas. O sofisticado Aquila Negra e o familiar Osteria dell’Oca são alternativas que você deve considerar.
O destaque deste roteiro é a visita à Vinícola de Bardolino. Para chegar lá, subirá o Mincio. As pedaladas serão feitas ao longo de uma serra idílica repleta de oliveiras e vinhas com vista para o deslumbrante Lago Garda. A pausa será na bela Vinícola LaCa, de nossa amiga Marina, para saborear seus vinhos Bardolino.
O passeio será aproveitado para explorar as ruas de paralelepípedos e parar em um restaurante local para um merecido descanso e um gostoso almoço. E, como nenhuma visita a Garda está completa sem um passeio de barco, você pegará uma balsa para contemplar as deslumbrantes vistas alpinas enquanto atravessa o lago até chegar ao aconchego do hotel.
Outro passeio incrível que você vai fazer será na região produtora de vinho da Valpolicella. O percurso pode ser feito de bike ou, se preferir, pode usar nosso serviço de transfer. Seja qual for sua escolha, vai adorar a subida feita pelas pequenas estradas agrícolas que oferecem uma vista linda. Ao chegar ao vale do Rio Adige, nosso amigo Stefano irá recebê-lo para um agriturismo chique no coração das vinhas, com pausa para um almoço degustação regado aos melhores vinhos locais. Você irá desvendar as vinhas ao redor do nosso exótico hotel, o Byblos Art. Depois, terá tempo para relaxar e jantar.
As Montanhas Lessini também fazem parte do roteiro. E uma boa pedida é fazer a caminhada pelas pastagens e assistir, sem pressa, ao famoso queijo da montanha Veronese ser preparado. E, claro, provar ao menos um pedacinho.
As vistas panorâmicas das Dolomitas e dos vales perto de Verona são destaques e o conselho é experimentar fazer parte desse percurso sozinho antes de pegar a bicicleta para uma suave descida ao longo das Cordilheiras da Valpolicella. O almoço será em uma osteria local, onde é possível conhecer histórias da região ao puxar prosa com os anfitriões – eles adoram papear com os viajantes.
Um conselho: não se esqueça de checar o calendário de ópera em Verona. Assim, quando estiver na cidade, poderá assistir a um ótimo espetáculo no maravilhoso anfiteatro romano de Verona. Outro prazer que você precisa – e merece – ter. 

Quem leva
Auroraeco Viagens: auroraeco.com.br
Duvine Co. : www.duvine.com

Comentários


Deixe um comentário




O comentário não representa a opinião da revista Host&Travel; a responsabilidade é do autor da mensagem