tamanho da letra : imprimir

Observatório

Sustentabilidade, palavra-chave também para o turismo

CHRISTINA BOCAYUVA

por Antonio Oliveira Santos*

 

As expressões “sustentabilidade” e “desenvolvimento sustentável” estão na ordem do dia e sendo repetidas quase à exaustão. Usadas nos mais variados contextos, nem sempre traduzem um entendimento claro de seus conceitos. Mas não há dúvida de que chegaram para ficar, e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) tem contribuído, de longa data, para a discussão dos aspectos de interesse da área empresarial e da sociedade como um todo.

Um ano antes da Rio 92 – portanto, há mais de 20 anos –, a CNC liderou, com suas coirmãs da Indústria (CNI) e da Agricultura e Pecuária (CNA), e também com a Câmara de Comércio Internacional (CCI), um grupo de trabalho voltado para as discussões sobre meio ambiente e desenvolvimento. Dali, saíram muitas contribuições para a grande Conferência da ONU, que inseriu definitivamente a expressão desenvolvimento sustentável no cotidiano de pessoas, empresas e países.

É claro que, ao longo do tempo, o conceito de sustentabilidade foi sendo ampliado e aplicado nos mais diferentes setores. O turismo, um dos pilares históricos da força de representação da CNC, é um segmento abrangente, com uma grande interrelação de atividades e públicos de interesse. Por isso mesmo, faz-se cada vez mais necessária a consolidação de um modelo de desenvolvimento que leve em conta não apenas os aspectos econômicos, mas também os sociais e humanos, bem como a preservação do meio ambiente natural.

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), haverá cerca de um bilhão de chegadas de turistas internacionais em 2012, um crescimento global da ordem de 3% a 4% em relação a 2011. Para o World Travel & Tourism Council (WTTC), a previsão de crescimento mundial do setor de viagens e turismo para 2012 é de 2,8%. O Brasil e a Ásia crescerão bem mais (8%), e a América Latina, 5,6%. Nas projeções da entidade, o crescimento médio do setor é de 4% ao ano até 2022, quando se estima que 328 milhões de pessoas irão trabalhar direta e indiretamente nas atividades do setor.

A força do turismo como fator de desenvolvimento é facilmente perceptível à vista dos números citados, particularmente os relativos ao nosso País. Mas igualmente grandes são os desafios para bancar esse crescimento e torná-lo sustentável, ajustado às melhores práticas dos pontos de vista social, ambiental e econômico.

A atuação do Sistema CNC-SESC-SENAC é toda pautada com base nesse princípio. Isso vale para a definição das diretrizes que orientam tanto o trabalho do Senac no campo da educação profissional, quanto os projetos sociais e ambientais realizados pelo Sesc.

Quando falamos de desenvolvimento sustentável, não apenas do turismo, mas de todos os setores, estamos falando também de pessoas qualificadas, educadas e preparadas para contribuir com seu trabalho. Com a experiência de mais de 60 anos de serviços prestados ao País, via educação profissional, o Senac está preparado para colaborar, por exemplo, com os megaeventos que se realizarão no Brasil nos próximos anos. Particularmente com a Copa do Mundo, em que está prevista uma oferta de oportunidades para mais de um milhão de trabalhadores, entre cursos e atendimentos, organizados para responder à demanda do mercado.

Por sua vez, o Sesc desenvolve um trabalho exemplar no que diz respeito à conciliação do turismo com a preservação ambiental e o desenvolvimento social. A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Sesc Pantanal é um dos mais impressionantes projetos de turismo ecológico do País, abrangendo com sucesso as dimensões sociais, ambientais e econômicas.

Tivemos oportunidade de destacar essas e outras iniciativas na Rio+20, aConferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Ao longo dos 20 anos desde o histórico encontro de 1992, o Sistema CNC-SESC-SENAC segue trabalhando para que o Brasil possa avançar com equilíbrio, com um turismo cada vez mais forte e sustentável.

Antonio Oliveira Santos é presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) | observatorio@revistahost.com.br

Comentários


Deixe um comentário




O comentário não representa a opinião da revista Host&Travel; a responsabilidade é do autor da mensagem