tamanho da letra : imprimir
Editorial

Um novo perfil de viajante

Mais do que uma novidade, trata-se de uma constatação: o consumidor de turismo está em processo de transformação. Com o advento das novas tecnologias, do acesso à informação e com o acirramento da concorrência nos diversos segmentos, o viajante do século 21 ganha um novo perfil. Deixa de ser um consumidor passivo, pouco informado e tradicional em suas escolhas de viagem e busca antecipar detalhes e deixar claro suas preferências. Não raro, conhece mais do destino do que o profissional de viagem.

Esse viajante-especialista, como foi descrito em recente pesquisa mundial sobre tendências do turismo – assunto de uma das matérias desta edição –, usa cada vez mais ferramentas tecnológicas e redes sociais de informação para garantir que sua viagem corresponda exatamente ao que espera. Em se tratando de opções de lazer, essas características são ainda mais relevantes.

Outro dado interessante sobre o viajante do século 21: é mais ousado ao escolher destinos. Ele tem mais interesse em viver uma nova experiência, conhecer culturas com as quais tem pouca familiaridade, experimentar novos sabores. É dentro desse espírito que traçamos um retrato da Índia, suas tradições e costumes, alinhado ao muito que há para se ver e fazer. Posso garantir que é uma viagem de fortes emoções. Dotado de contrastes intrigantes, que resulta no que definimos como um “caos harmônico”, um passeio pelo país prova no dia-a-dia que a diversidade gera grande riqueza cultural e belas lembranças.

Oferecer opções inusitadas ao turista também é receita válida para o Brasil. O exemplo que mostramos vem do Espírito Santo. Na (ainda) pouco conhecida serra capixaba, as cidades de Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante fazem parte da rota do Sol e das Montanhas. A região recupera a herança dos imigrantes europeus, principalmente alemães e italianos, que a colonizaram para incrementar as atrações, como eventos culturais e uma gastronomia caprichada. Sem contar que é um polo bem-sucedido do agroturismo.

Mais uma novidade. A partir desta edição, a Host&Travel passa a contar com o selo FSC (Forest Stewardship Control). O selo atesta que o papel utilizado na revista foi certificado pela organização que estabelece padrões de sustentabilidade ambiental e social para a produção de itens de origem florestal. Também fazemos parte do esforço para promover o turismo sustentável.

Boa leitura!

Comentários


Deixe um comentário




O comentário não representa a opinião da revista Host&Travel; a responsabilidade é do autor da mensagem